Luciano Bivar, presidente nacional do PSL, partido do Bolsonaro, fez declarações extremamente machistas neste domingo (10). Uma das frases desprezíveis pronunciadas por Luciano foi: “a  política não é muito da mulher. Eu não sou psicólogo, não. Mas eu sei isso”, ao responder um questionamento sobre uma candidata laranja da legenda, em entrevista à Folha de S. Paulo.

O presidente do PSL ainda declarou ser contra a regra que determina que 30% das candidaturas dos partidos sejam femininas. “Eu considero a regra errada. Tem que ir pela vocação. Se os homens preferem mais política do que a mulher, tá certo, paciência, é a vocação”.

Parlamentares petistas se manifestaram, em suas redes sociais, sobre as afirmações machistas. A deputada federal Maria do Rosário rebateu a clara demonstração de machismo de Bivar com a declaração: “e os homens desse governo que está aí, tem vocação pra dizer asneiras e fazer a pior política. Aliás, algumas mulherestambém. Não deveria tomar todas as brasileiras pela medida do seu partido”.

Natália Bonavides esclareceu que “não é a primeira vez que falam que política não é lugar de mulher. Ainda hoje precisamos reafirmar que: lugar de mulher é onde ela quiser! Defendemos as cotas para candidaturas femininas, defendemos a vida e os direitos das mulheres. Por mais mulheres feministas na política!”.

Margarida Salomão comentou que o fato da legenda utilizar candidatas laranjas é também mais uma demonstração absurda de machismo. “Pior é perceber que a exploração de candidaturas de mulheres parece sistemática. Eis outra face cruel do machismo brasileiro. Os neocoronéis nem precisam mais eleger suas esposas para o Congresso. Basta lançar candidatas e embolsar os recursos públicos a que elas têm direito”.

candidatura laranja é de uma deputada federal em Pernambuco, Maria de Lourdes Paixão, secretária do partido no estado, que obteve apenas 274 votos mas recebeu a terceira maior verba de fundo eleitoral do partido, maior que a do próprio Jair Bolsonaro: R$400 mil.

A prestação de contas do partido de Bolsonaro sustenta que 95% da verba utilizada na campanha de Maria de Lourdes Paixão foi destinada a gráficas que teriam feito a impressão de 1,7 milhão de adesivos um dia antes das eleições, mas a Folha de S. Paulo visitou os supostos endereços das gráficas e não encontrou nenhum sinal de que elas tenham funcionado nesses locais durante a eleição.

Da Redação da Secretaria Nacional de Mulheres do PT com informações da Folha de S. Paulo

Ler 451 vezes

Partido dos Trabalhadores

O Partido dos Trabalhadores surgiu como agente promotor de mudanças na vida de trabalhadores e trabalhadoras das cidades e dos campos, militantes de esquerda, intelectuais e artistas.

Foi oficializado partido político em 10 de fevereiro de 1980. O PT integra um dos maiores e mais importantes movimentos de esquerda da América Latina. Confira nossas redes sociais

 
 
 
 
 

Seja Companheiro!

Cadastre-se Online

Top